quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Caso Mário Crespo

Podem não acreditar, mas pensei muito antes de teclar este texto. É para mim complicado escrever sobre o caso Mário Crespo. Felizmente tive a oportunidade de entrevista-lo e a partir daí, nutro por ele um grande respeito e uma admiração maior ainda.

Percebo perfeitamente a indignação deste homem. Não seria a primeira vez que seria castrado pelo orgão de comunicação social pelo qual trabalha. Todos nos lembramos do caso RTP.

Mas, para lá de tudo isto, e acreditanto em tudo que Mário Crespo diz no artigo, não posso censurar o director do jornal de notícias. Custe o que custar, doa a quem doer, ele fez o que estava certo.

Aquilo, deixou de ser uma crónica de opinião para passar a ser uma notícia. E notícias provam-se com factos. E os factos não eram a essência daquele artigo. Além disso, há aqui outro ponto essencial: resguardar a privacidade das pessoas que estavam no restaurante.

Agora, se me perguntam se eu acredito que houve aquela conversa? Claro que acredito! Acho que o Mário Crespo está a pagar pelo programa  que sistematicamente ataca o governo de Sócrates.

Balelas à parte, Mário Crespo é um grande jornalista e o JN um grande jornal. Um casamento feliz que infelizmente chegou ao fim.

4 comentários:

  1. Há novidades sobre este senhor já viste?

    ResponderEliminar
  2. tenho que te mandar por mail..nao é circo mas tem palhaços!

    ResponderEliminar
  3. vou ver se te mando para o mail.aquilo não é circo mas tem palhaços!

    ResponderEliminar